Educação Integral

Para garantir que todas as crianças e jovens tenham acesso a uma educação de qualidade, que realmente prepare para os desafios que encontrarão ao longo da vida, trabalhamos para promover a “educação integral” nas redes públicas do Brasil, com foco no ensino fundamental e médio.

Adotamos um conceito de “educação integral” que ultrapassa a ideia de “educação em tempo integral”, na medida em que não se limita a ampliação da jornada escolar, mas pressupõe uma mudança de visão do que seja o papel da escola.

Nessa nova visão, a escola deixa de ser vista como “transmissora de conteúdos” e passa a ser concebida como mediadora no desenvolvimento de competências para a vida. Isso significa que, além de ensinar a ler, escrever e conhecer o conteúdo das disciplinas, a escola deve preparar os alunos para se inserirem plenamente no mundo do trabalho, da cidadania e das relações sociais.

Entendemos que essa mudança de paradigma é essencial para ampliar as oportunidades de vida de crianças e jovens, uma vez que o mundo contemporâneo exigirá deles que sejam mais do que excelentes “acumuladores de conhecimento”, mas cidadãos conscientes e participativos, trabalhadores éticos e produtivos, seres humanos capazes de fazer boas escolhas e transformar o universo em que vivem.

Para que essa educação integral seja possível, conferimos um olhar sistêmico sobre o processo educativo, trabalhando para qualificar a oferta educacional em todas as suas etapas: desde a produção de novos conhecimentos sobre “o que” e “como” ensinar e aprender, passando pelo desenho de modelos pedagógicos, de gestão, tecnologia e avaliação, até a sua operacionalização nas redes de ensino.

Como sabemos que problemas complexos exigem estratégias colaborativas de enfrentamento, articulamos diversos setores da sociedade e áreas do conhecimento para pensar e fazer uma educação de qualidade. Pela mesma razão, cuidamos para que todas as pessoas tenham acesso a nossas propostas e possam contribuir para o seu desenvolvimento e aplicação.