Notícias

Instituto realiza formação de educadores em Santa Catarina
Instituto realiza formação de educadores em Santa Catarina

13 de fevereiro de 2017

O Instituto Ayrton Senna realizou nos dias 9 e 10 de fevereiro, em Santa Catarina, a formação de cerca de 200 profissionais da rede estadual de ensino que irão atuar com o programa de Educação Integral para o Ensino Médio a partir deste ano letivo. Essa foi a primeira etapa da formação que será realizada ao longo do ano e que prevê ainda outras reuniões presenciais e encontros através de ferramentas de Educação a Distância (EAD).

A formação teve como objetivo apresentar a professores, assistentes técnico-pedagógicos e supervisores regionais da rede estadual uma nova concepção de escola. Durante o encontro, os educadores foram reunidos em grupos de acordo com a área de atuação e puderam conhecer toda a proposta pedagógica, desde o projeto, o cronograma, bem como elaborar um planejamento de aulas, atividades para a semana de integração e também conhecer mais a fundo o material didático, que incluiu livros, caderno do estudante e orientações para planos de aulas (OPAs) dos professores.

Desenvolvido em parceria pela Secretaria Estadual de Educação de Santa Catarina, o Instituto Ayrton Senna e o Instituto Natura, o programa de Educação Integral vai atender 16 escolas públicas catarinenses a partir deste ano letivo, beneficiando aproximadamente 1.300 estudantes e visa levar uma proposta inovadora de educação em tempo integral para o Ensino Médio, começando com turmas do primeiro ano (leia mais sobre a proposta abaixo). “Além de apresentar melhor a proposta, as formações têm como objetivo criar um espaço de integração e troca de experiências e dúvidas – algo fundamental para que o projeto seja implementado com sucesso nas escolas”, explicou Kátia Smole, especialista em matemática e formadora do Instituto Ayrton Senna, durante o encontro.

De acordo com o secretário estadual de Educação de Santa Catarina, Eduardo Deschamps, mais do que ampliar o tempo de aula dos alunos, o objetivo deste projeto é melhorar a qualidade do ensino oferecido na rede. “Queremos trazer a expectativa de poder desenvolver uma educação integral em tempo integral e também habilidades socioemocionais nos estudantes, que são competências muito valorizadas na formação do jovem para o século 21. Em um primeiro momento, a proposta será implementada em um número menor de escolas, mas esperamos que possa chegar a larga escala com outras escolas de Santa Catarina”.

As aulas do Ensino Médio terão início no dia 15 de fevereiro e, até o dia 21, os estudantes participarão de uma semana de integração, que prevê a acolhida dos alunos, uma dinâmica especial de aulas, a apresentação da proposta de ensino em tempo integral e inclui também um encontro com familiares, visando a aproximação dos pais com as escolas.

Leopoldo Diehl Filho, diretor da Escola de Ensino Básico Prof. Heleodoro Borges, em Jaraguá do Sul, participou da formação e se mostrou motivado pelo desafio da nova proposta. “Eu sempre sonhei com uma prática diferente em educação. Nunca consegui realizá-la porque não tinha estrutura para essa mudança. Agora eu tenho estrutura, tenho esses encontros e as formações. O Instituto vem somar com a gente e nos dá um novo rumo para que nossa educação melhore e os índices cresçam. Com essa proposta eu espero uma transformação completa da educação. Acho que a gente não vai mais regredir, essa educação integral vai realmente formar um novo tipo de cidadão”.

Conheça mais sobre a proposta de Educação Integral para o Ensino Médio

A proposta de Educação Integral desenvolvida pelo Instituto Ayrton Senna prevê uma mudança na concepção atual de ensino, buscando levar à escola uma dinâmica que prepare os jovens para os desafios do século 21.

Na versão que será implementada em Santa Catarina, os estudantes terão aulas em tempo integral durante quatro dias na semana. O currículo foi reorganizado em quatro grandes áreas do conhecimento: Matemática, Linguagens, Ciências da Natureza e Ciências Humanas. Trabalhando com teoria e prática de formas contundentes, o currículo permite uma visão mais ampla da aprendizagem, que se pretende mais integrada e integradora.

O currículo contempla a existência de um núcleo articulador – um conjunto de aulas para o desenvolvimento de competências e habilidades para o século 21, no qual os jovens poderão trabalhar em projetos voltados a planejar seu futuro, melhorar a realidade em que vivem, pesquisar e estudar. Nesses projetos, eles aprendem a trabalhar em equipe, usar o conhecimento para resolver problemas e planejar seus projetos de vida.

Toda a proposta de educação integral está orientada por um conjunto de competências, que articulam aprendizagens cognitivas e socioemocionais. Essa matriz é a referência de todas as práticas de ensino e atividades que ocorrem no dia a dia das escolas. Dessa forma, as ações têm sempre uma orientação e intenção comuns que é a formação para a autonomia dos estudantes, ou seja, sua capacidade de fazer escolhas bem fundamentadas para realização de seus projetos de vida.

Essa proposta de Educação Integral para o Ensino Médio já vem sendo desenvolvida em sua forma plena em três escolas do Rio de Janeiro. No Colégio Estadual Chico Anysio (CECA), por exemplo, o projeto existe há quatro anos e, nesse período, o número de alunos com bons resultados em matemática foi 10 vezes maior que nas outras escolas da rede. Em português, o número foi 4 vezes maior. Pelos altos níveis de aprendizagem, o CECA se destacou entre as melhores escolas públicas no Enem 2016, sendo o primeiro colocado entre as escolas de mesmo nível socioeconômico no Estado do Rio de Janeiro.

Clique aqui e saiba mais sobre o Ensino Médio Integral em Santa Catarina.

 

Ver todas as notícias

Cadastre-se e receba notícias e novidades do Instituto Ayrton Senna